Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TC.F Informação

A Ilha Graciosa está aqui!

TC.F Informação

01
Abr10

A opinião 2 (repetição)

TC.F Informação

 

Hoje trazemos mais um artigo de opinião de grande interesse para os jovens Graciosenses, o desemprego e a desertificação!

Muitas vezes os jovens pensam em projectos de vida, a profissão que gostavam de exercer, o género de casa que gostavam de ter e, claro, o sitio em que gostavam de viver. Muitas vezes ouvimos políticos, e “intelectuais”, referirem o tema “desertificação”, e felizmente que vão abordando o assunto, mas não nos podemos sigilar somente a hotéis, a portos de pescas, a termas, ou mesmo a novos centros de saúde como forma de garantir que os jovens se iram manter nesta terra, a verdade é que os trabalhos não são para todos, pois nem todos têm as habilitações escolares devidas, e é aí que provavelmente reside o maior problema dos políticos e dos ditos “intelectuais”, é que se esquecem sempre do nível literário dos graciosenses, será que quando abrem vagas para um centro de saúde, para um hotel, para umas termas, ou qualquer outra edificação pública, se lembram das habilitações académicas dos graciosenses? peço desculpa, mas não me parece. Mas também é verdade que pessoas com habilitações inferiores a outros candidatos à vaga já ultrapassaram pessoas que tinham um nível académico maior, mas isso é “difícil” de explicar.

O desemprego é sem margens de dúvida o maior perigo, e infelizmente, quase certo, destino dos jovens da Graciosa, por várias razões; Na Graciosa não existe oferta adequada, ou mesmo vagas, e quando existem vagas são os jovens de outras ilhas que cá ficam colocados; A atribuição de bolsas da Câmara Municipal é das mais inacreditáveis, pois a Câmara, vai dando prioridade aos jovens que queiram ir para enfermagem digo até que, com tantos jovens enfermeiros que se ajudou deveríamos, nesta altura, ter um Sistema de Saúde Próprio, pergunta-se como é que chegamos aqui? ou seja, porque motivo esses jovens não são cá colocados?. Mas também é verdade que muitos desses jovens têm sempre a pretensão de não regressar, talvez por quererem uma vida de mais stress, de mais movimento, mas que culpa a Graciosa tem? muitas vezes é desprezada por aqueles que viu nascer e crescer.

O desemprego nos jovens Graciosenses, não é muito nesta terra, felizmente, mas por outro lado a desertificação faz uma camuflagem a esse problema. O que fazer? Apostar nos jovens, integra-los nas colectividades da ilha, atribuir responsabilidades a eles, fazer deles cidadãos “agarrados” pela sua terra, é assim que se faz noutras paragens, mas infelizmente na Graciosa existe ainda a ideia de “os pequenos novos são ignorantes, e não sabem nada da vida.”, é por essas e por outras que os jovens graciosenses se vão embora, porque existe algumas “mentalidades” atrasadas, e estes jovens querem evoluir, querem fazer algo de útil, por isso não se admirem caros leitores dos jovens actuais não se interessarem por nada do que se faça na Graciosa, porque nunca quiseram a participação deles.

 

Tiago Correia